terça-feira, 20 de setembro de 2011

UFPA concede título de "Doutor Honoris Causa" a Vicente Salles, autor de "O negro no Pará"

Um dos intelectuais mais notáveis do Estado, Vicente Juarimbu Salles,
recebeu da Universidade Federal do Pará (UFPA) a outorga do título
Doutor Honoris Causa, o mais alto dos graus universitários,
normalmente concedido a personalidades que tenham se distinguido pelo
saber ou pela atuação em prol das Artes, das Ciências, da Filosofia,
das Letras ou do melhor entendimento entre os povos. A concessão foi
indicada pelo reitor da UFPA, Carlos Edilson Maneschy – para quem a
obra de Vicente Salles é “um legado de qualidade acadêmica e cultural
de inegável valor.”
Aprovada por unanimidade pelo Conselho Universitário (Consun), a
outorga foi votada em reunião extraordinária, nesta segunda-feira, 19,
a qual contou com mais de 60 conselheiros presentes, de um total de 98
membros. A votação seguiu o Regimento Geral da Universidade, o qual
prevê que a concessão deste grau deve ter o voto favorável de, pelo
menos, dois terços (2/3) dos membros do colegiado competente.
O parecer nº20/2011 da Câmara de Legislação e Normas (CLN), que se
encontrava em fase de apresentação, teve dispensa de interstício para
ser julgado de imediato, a tempo de que a outorga do título possa
homenagear Vicente Salles em concomitância com as comemorações pelos
seus 80 anos de vida, os quais serão completados no próximo dia 27 de
novembro. “Essa será, sem dúvida, uma ocasião propícia para que a UFPA
possa reconhecer os méritos universais de sua obra”, afirmou o reitor
Carlos Maneschy.
Coroamento de uma trajetória de vida - Em entrevista concedida por
telefone, Vicente Salles, que atualmente reside em Brasília,
demonstrou-se sensibilizado. “Aos 80 anos de idade, estou pronto para
receber muita coisa, as melhores e, até mesmo, as piores notícias.
Essa homenagem a mim concedida pela UFPA, certamente, é uma boa
notícia que recebo como o coroamento de toda uma trajetória de vida.
Um título grandioso que chega a um caboclo do interior e que recebo
com muita gratidão”, disse o pesquisador, após ser informado pelo
reitor Carlos Maneschy acerca da honraria.
Vicente Salles é natural da vila de Caripi, município de Igarapé-Açu,
interior do Pará, donde saiu cedo para estudar na capital, Belém.
Formou-se como Bacharel em Ciências Sociais pela antiga Universidade
do Brasil, atualmente Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Aos 23 anos, começou um trabalho pioneiro de pesquisa do Carimbó,
ritmo musical popular próprio da cultura paraense. E não apenas. Sua
extensa obra dedica-se, de modo geral, à cultura popular e à música,
e, de modo específico, à história do Pará, ao povo local, à literatura
de autores paraenses: uma produção que soma mais de 25 livros e 50
microedições, entre os quais, estão títulos como: O negro no Pará, O
memorial da Cabanagem e Épocas do Teatro do Grão Pará.
Títulos - Membro da Academia Brasileira de Música, seu catálogo de
obras, publicado em 2009, relaciona 661 títulos, entre bibliografia
básica e bibliografia geral. De acordo com a esposa do pesquisador,
Marena Salles, grande parte de sua obra, no entanto, ainda permanece
inédita. “Nenhuma pesquisa sobre música e história do Pará, ou sobre
as áreas em que é referência, pode ser realizada, hoje, sem
mencioná-lo”, afirmou.
Vicente Salles é, também, membro da Academia Nacional de Música; do
Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro; da Comissão Nacional do
Folclore, entre outros órgãos e entidades. Durante toda sua vida,
recebeu diversos prêmios e o título Doutor Honoris Causa da
Universidade da Amazônia (Unama), em 2002.
Museu da UFPA - Na UFPA, Vicente Salles foi diretor do Museu
Universitário (MUFPA) por dois anos, tempo que utilizou para organizar
seu acervo de partituras manuscritas e impressas, discos, fitas,
imagens, livros, folhetos e recortes de jornais. Foi também no MUFPA
que implantou projetos de pesquisa sobre a cultura popular do
cantochão paraense, bandas de música e edição de partituras musicais
em computador.
Atualmente, o Museu da UFPA abriga o Acervo Vicente Salles, no qual
está a coleção completa das microedições do pesquisador (Leia no
Jornal Beira do Rio a reportagem Projeto recupera Coleção Vicente
Salles).
Justiça a um intelectual ímpar - Durante a reunião do Consun que votou
a concessão do título, diversos professores da UFPA manifestaram-se
sobre a colaboração inestimável de Vicente Salles para a produção de
conhecimento sobre o Pará e a Amazônia. Para o relator do processo e
professor do Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ) da UFPA, Antônio
José Mattos, o título Honoris Causa “faz justiça a um intelectual
ímpar”, que tem "a obra de um gigante”. Da mesma forma, o pró-reitor
de Extensão, Fernando Arthur Neves, disse que “o título concedido
engrandece não apenas o professor Vicente Salles, mas também a própria
UFPA.”
O diretor do Instituto de Ciências da Arte (ICA) da UFPA, Celson
Gomes, destacou a importância do pesquisador para essa área do
conhecimento, especialmente para a área de Música. “Não por acaso,
Vicente Salles foi o homenageado do V Encontro Nacional da Associação
Brasileira de Etnomusicologia, realizado em Belém, em maio de 2011”,
lembrou.
Interdisciplinaridade - Já o vice-reitor Horácio Schneider destacou,
por exemplo, a importância da obra de Vicente Salles para a Biologia,
mais especificamente para os estudos de antropogenética. “O livro O
Negro no Pará é uma obra de referência, que pavimentou muitas das
pesquisas do Grupo de Estudos em Genética de Populações Humanas, do
qual eu faço parte”, contou. O diretor adjunto do Instituto de
Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da UFPA, professor Nelson Souza
Júnior, afirmou que “Vicente Salles é um criador no sentido pleno da
palavra, o qual consolidou a área de estudos amazônicos e gerou novas
possibilidades de pesquisa.”
A cerimônia de entrega do título Doutor Honoris Causa a Vicente Salles
ainda será agendada em data próxima. A expectativa é que o pesquisador
possa vir a Belém para receber a homenagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário