quinta-feira, 25 de julho de 2013

Dia Internacional da Mulher Negra na América Latina e Caribe: porque a luta em gênero e raça



Escrito por: Maria Julia Reis Nogueira, Secretaria Nacional de Combate ao Racismo

27/07/2011


Em 1992, mulheres representantes de 70 países se reuniram na República Dominicana para participar do 1º Encontro Nacional de Mulheres Afrolatinas-americanas e afro-caribenhas, quando ficou estabelecido que o Dia 25 de julho seria o DIA INTERNACIONAL DA MULHER NEGRA NA AMÉRICA LATINA  E CARIBE.

A data definida pela ONU representa um marco institucional de luta e de resistência da mulher negra.

Alguns podem se pedem perguntar se existem justificativa para o dia 25 de julho, considerando a existência do 8 de março, quando homenageamos todas as mulheres pelas conquistas alcançadas graças à mobilização em defesa do respeito, da dignidade e de direitos iguais.

Para nós, razões não faltam e podemos apresentar alguns elementos que certamente irão fazer com que se reflita sobre a importância da instituição deste dia:

1-     A Mulher negra é vitima de uma dupla discriminação: de gênero e de raça. Ainda não podemos nos esquecer que 25 de julho é dia do trabalhador e da trabalhadora  rural, portanto a trabalhadora rural negra é vitima de mais uma discriminação;

2-     A s Mulheres Negras chegam e receber mensalmente cerca de 66% menos nos salários quando comparados com os homens não negros;

3-     A grande maioria das mulheres negras, 93%, encontra-se no trabalho domestico, o que representa 8 milhões de pessoas. Dessas, 80% não possuem a formalização do vinculo empregatício se quer tem o contrato registrado na CTPS.

Essas poucas considerações, demonstram a necessesidade de se ter pelo um dia em que possamos refletir e debater as questões referentes às mulheres negras e pensar como podemos nos articular para construirmos ações e políticas voltadas para combater a discriminação contras as mulheres, em particular, as negras, ainda mais massacradas, excluídas e discriminadas que as não-negras.

A existência desse dia internacional dedicado às mulheres negras, é necessário e bastante oportuno para podermos refletir, dialogar e pensar ações especificas que viabilizem na prática e no dia-a-dia o combate ao preconceito e à discriminação cotidiana.

sábado, 1 de junho de 2013

Mulher Negra


Mulher nua, mulher negra,
Vestida de tua cor que é vida,
de tua forma que é beleza!
Cresci à tua sombra;
a doçura de tuas mãos acariciou os meus olhos.
E eis que, no auge do verão,
em pleno Sul, eu te descubro,
Terra prometida,
do cimo de alto desfiladeiro calcinado,
E tua beleza me atinge em pleno coração,
como o golpe certeiro de uma águia.

Fêmea nua, fêmea escura,
Fruto sazonado de carne vigorosa,
êxtase escuro de vinho negro,
boca que faz lírica a minha boca
savana de horizontes puros,
savana que freme com as carícias ardentes do vento Leste.

Tam-tam escultural,
tenso tambor que murmura sob os dedos do vencedor.
Tua voz grave de contralto é o canto espiritual da Amada.
Fêmea nua, fêmea negra,
Lençol de óleo que nenhum sopro enruga,
óleo calmo nos flancos do atleta,
nos flancos dos príncipes do Mali.
Gazela de adornos celestes,
as pérolas são estrelas sobre a noite da tua pele.
Delícia do espírito,
as cintilações de ouro sobre tua pele
que ondula à sombra de tua cabeleira.
Dissipa-se minha angústia,
ante o sol dos teus olhos.

Mulher nua, fêmea negra,
Eu te canto a beleza passageira
para fixá-la eternamente,
antes que o zelo do destino
te reduza a cinzas para alimentar as raízes da vida.

Poema de Léopold Sédar Senghor: 1906 - 2001
Tradução de Guilherme de Souza Castro - Falecido professor da UFBa, foi diretor do CEAO e professor em Ifé (Nigéria).


sábado, 25 de maio de 2013

Negros na mídia brasileira.




O Centro de Estudos Afro-Orientais vai sediar na próxima terça-feira (28/05), das 18h às 21h, no auditório Milton Santos, o seminário Negros na Mídia Brasileira: Um recorte. O evento terá a participação da jornalista Suzana Singer, Ombudsman da Folha de São Paulo, do coordenador do Pós-Afro/UFBA Valdemir Zamparoni e do jornalista e professor da Faculdade de Comunicação Fernando Conceição. As inscrições poderão ser realizadas no local ou antecipadamente pelo e-mail nicom@ufba.br.
Organizado pelo Grupo de Estudos em Mídia e Etnicidades (Etnomídia), da Faculdade de Comunicação, ligado ao Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade da Universidade Federal da Bahia, o seminário tem objetivo de apresentar à sociedade, aos profissionais da comunicação, estudantes, professores e representantes dos veículos de comunicação, os resultados da pesquisa Faces do Brasil. 
 Desde 2010 o Etnomídia monitora a cobertura de 17 jornais diários e 6 revistas de circulação nacional com o objetivo de verificar a cobertura que a mídia brasileira faz sobre três grupos étnicos historicamente discriminados e estereotipados no país: indígenas, ciganos e negros.


Mais informações: 
fernconc@ufba.br
.


Fontewww.ceao.ufba.br

sexta-feira, 17 de maio de 2013




Estão abertas, até o dia 19 de maio, as inscrições para a VII Semana da África, a ser realizada de 20 a 25 de maio em Salvador, com o tema geral Identidades africanas na produção audiovisual em África e na sua diáspora. Para fazer sua inscrição, acesse o blog do evento:http://semanadaafrica.blogspot.com.br/.

A Semana da África tem como objetivo estabelecer trocas científicas entre estudantes, professores e intelectuais africanos e brasileiros. Além disso, propicia a constituição de um fórum acadêmico e cultural com uma periodicidade anual, voltado para a promoção de debates acerca de uma multiplicidade de temas referentes às questões africanas e da diáspora.

Nesta sétima edição, pretende colocar em foco temas relacionados às produções audiovisuais africanas, em especial o cinema, bem como as diversas apropriações das imagens das realidades africanas na diáspora, e especialmente no Brasil, considerando a importância da produção audiovisual africana e sobre a África no ensino da história, das culturas africanas e afro-brasileiras nas escolas e universidades brasileiras, no contexto da primeira década de vigência da Lei nº 10.639.

O evento é uma iniciativa dos estudantes africanos em Salvador e afro-brasileiros realizado desde maio de 2006, e conta com o apoio do Centro de Estudos Afro-Orientais e da Pró-Reitoria de Assistência Estudantil da Universidade Federal da Bahia (UFBA). 

sábado, 11 de maio de 2013

Maio: Mês da África.


O mês de maio é considerado o Mês da África e para celebrar, a Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Centro de Convivência Negra (CCN), a União dos Estudantes Africanos em Brasília da UnB e as embaixadas dos países africanos no Brasil, promove eventos dos dias 07 a 31 de maio. A abertura aconteceu anteontem (7), no auditório da Fundação Cultural Palmares, em Brasília, e discutiu o tema Afrocentricidade a partir de palestra do doutorando em Farmacologia, de Camarões, Martin Fonkoua.
As comemorações têm como objetivo debater a cultura e o desenvolvimento social, político e econômico do continente africano, bem como os desafios que os países enfrentam desde as suas independências. Para tanto, estão agendadas exposições, debates, seminários e apresentações culturais.
A abertura contou com a presença do presidente da FCP, Hilton Cobra, que enfatizou a importância de se redescobrir a África, para que o brasileiro reconheça sua identidade, para ele,“é muito importante divulgar as culturas africanas. No Brasil, não nos foi permitido ser negros, descobrimos essa identidade de forma tardia. O continente africano foi devastado pela colonização, assim como o Brasil.” Cobra agradeceu a oportunidade de participar do evento e colocou a Fundação a disposição para os debates.
Alberto Francisco, presidente da União de Estudantes Africanos, participou do debate e pontuou que “o mês de maio é importante para nós, não só para comemorar a independência, mas para mostrar a verdadeira África para o Brasil e trocar experiências”.  Martin Fonkoua,  ressaltou  a importância de afirmar as culturas africanas , para superar o ranço da colonização européia. Martin também reafirmou a importância da integração com os brasileiros: “para os africanos, os brasileiros são parte de nós”, concluiu.

Serviço:
Programação Mês da África em Brasília
9 de maio de 2013
Seminário: Nova fase de desenvolvimento dos países africanos e parcerias com a China e o Brasil; Relações comerciais entre o Brasil a China e Angola e Síntese histórica da presença das multinacionais petrolíferas em Angola (1975-1992)
Palestrantes: Carlos Simba Sumbo, José de Jesus João Ferreira, Pio Penna Filho, Dr.
Local:Departamento do Instituto de Relações Internacionais – UnB
Horário: 14 hs.

De 13 a 17 de maio
Exposição Africana
Abertura da Exposição Africana
Local: Hall da Biblioteca Central da Universidade de Brasília.
-
Quarta, 15 de maio
Seminário: África Ciência e tecnologia: Contribuições à Civilização Mundial
Palestrante: Daniel Arthur NnangMetogo, doutorando em Engenharia Civil
Horário: 8h30
Local: Instituto de Ciências Biológicas(IB). Auditório 3
Seminário: Economia Africana
Palestrante: Dr. Ivair Alves dos Santos, Coordenador do CCN.
Horário: 10h30
Local: Instituto de Ciências Biológicas(IB). Auditório 3
Almoço: Cardápio Africano: Cachupa (Cabo Verde) e Cuscuz Marroquino
Local: Restaurante Universitário da Universidade de Brasília.
Seminário: A Arte Africana
Palestrante:Hernany dos Reis, graduando em Arquitetura
Horário: 14h00
Local dos seminários: Instituto de Ciencias Biologicas(IB) UnB. Auditório 3

Quinta-feira, 16 de maio
Seminário: Amílcar Cabral e a Educação na Guiné-Bissau.
Palestrantes: Gaudêncio Pedro da Costa, especialista em Gestão de Projetos PMBOK, FatúmataYonton Camará, graduando em Letras, Hiaosmin V. Tavares Costa, graduando em Biblioteconomia.
Horário: 14h00
Local:Instituto de Ciencias Biológicas(IB) UnB. Auditório 3
- Informações: (61) 3107 3425/26  

Fonte: Fundação Cultural Palmares. 


sábado, 4 de maio de 2013






I Semana de História da UNEB – Campus XIV – Conceição do Coité-BA, pretende produzir o conhecimento histórico, discutindo o tema: Discursos, Historiografias e o Ofício do historiador, ou seja, promover a pesquisa histórica, bem como o diálogo e aproximações dos estudantes de História do Estado da Bahia e eventualmente do Brasil, com estudos que envolvam abordagens teórico-metodológicas no âmbito da história.

Esse projeto visa fomentar o debate acadêmico com pesquisadores das áreas de Escravidão, Identidade e Ensino de História, tendo o intuito de divulgar a produção historiográfica dos interessados e promover o intercâmbio de ideias, profissionais (discentes e docentes) e instituições, contribuindo para a solidificação do conhecimento, além de investir na produção de anais eletrônicos, fruto imediato do desenvolvimento desta Semana.
Dentro de seu espírito de renovação e incentivo aos novos pesquisadores, a Semana composta de Conferências, Mesas Redondas, Simpósios Temáticos e Minicursos.
O Evento realizará-se nas dependências da Universidade do Estado da Bahia, no Departamento de Educação – Campus XIV – Conceição do Coité-BA, sob a direção de uma Comissão Organizadora, composta por Docentes do Colegiado de História e discentes do Diretório Acadêmico de História Carlos Maringhella.
Essa Semana impulsiona alunos de diversos Programas do estado, e também do país, a produzir e movimentar seus conhecimentos, permitindo-os ganhar visibilidade, ampliar a temática e trocar experiências.


Comissão Organizadora
Telefone: (75) 3262-7508
E-mail: semanadehistoriaunebxiv@hotmail.com


domingo, 28 de abril de 2013







No dia 21 de Maio pelas 16h30 o MAFRO propõe uma abordagem à implementação da Lei 10.639/03 através do Projecto Pedagógico Sankofa, partindo de de caixas interativas que trabalham os temas da história, geografia, influências africanas, a religiosidade afro-brasileira e o MAFRO. Público alvo: arte educadores, professores da rede de ensino fundamental e afins.

Fonte: http://www.mafro.ceao.ufba.br/

sexta-feira, 19 de abril de 2013


        VII Encontro do Fórum de Cultura da Bahia




O VII Encontro do Fórum de Cultura da Bahia - Canudos, Sertão do São Francisco acontecerá nos dias 17, 18 e 19 de maio.

 O Território da Identidade Sertão do São Francisco localizado no semi-árido baiano é composto por 10 municípios: Campo Alegre de Lourdes, Canudos, Casa Nova, Curaçá, Juazeiro, Pilão Arcado, Remanso, Sento Sé, Sobradinho e Uauá. Este importante território para a história do nosso estado é composto por agricultores familiares, famílias assentadas, 1 comunidade quilombolas reconhecida, diversas comunidades esperando o reconhecimento  e 1 terra indígena reconhecida.

Cidade de Antonio Conselheiro e sede do VII Encontro - Canudos, constitui-se como um exemplo da bravura e resistência da população sertaneja em um cenário de anacronismo que resiste ao tempo, através do resgate histórico do local. O legado de Canudos, objeto de interesse nacional e internacional, constitui-se, de fato, em marco fundamental da nossa história e a cultura do Estado da Bahia, sendo referencia na historiografia, na cultura popular, na arte e na arqueologia. Região rica de diversas manifestações culturais, destacando Lundu,  Bandas de Pífanos, Reizados, Romarias, Vaquejadas, Teatro, dentre outros. 

Aqueles que se apressaram e já garantiram suas inscrições, tem sua participação garantida, mas aqueles que deixaram pra depois vão ter que esperar as próximas edições, pois as inscrições já foram encerradas.

Fonte:http://forumdeculturadabahia.blogspot.com.br

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Projeto: Cinemando com a literatura (Textos de autoria Feminina).



 O evento aconteceu no Auditório do Campus XIII - UNEB, trazendo textos de autoria feminina. Uma proposta do NUGSEX  - DIADORIM  que objetivou uma aproximação entre obras literárias mundiais e produções cinematográficas. O projeto ainda trouxe pesquisas de gênero e sexualidades e a exploração do cinema como proposta de ensino - aprendizagem. Bem recebido no Campus XIII o projeto foi um grande sucesso entre os participantes, que agora aguardam as próximas edições do Cinemando.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

(RE)CREDENCIAMENTO NO GRUPO DE PESQUISA


CI 001/2013

CHAMADA PARA (RE)CREDENCIAMENTO
Car@s,

O líder e vice-líder do grupo de pesquisa Populações Negras: Pesquisa e Extensão (UNEB/CNPq), torna público os prazos para Credenciamento e Recredenciamento de seus membros pesquisadores.

 PRAZOS E REQUISITOS:
1 – 01 de março à 30 de abril;·
2 – Membros lotados no DEDC/UNEB – XIII: Projeto de Pesquisa e/ou Extensão (formulário em anexo);
3 – Membros externos ao DEDC/UNEB-XIII: proposta de minicurso (extensão) (formulário em anexo);
4 – Envio do currículo LATTES juntamente com a proposta para todos os membros;
5 – Enviar a solicitação de (re)credenciamento para o e-mail: estudos.negros@gmail.com

 

Itaberaba, BA, 26 de fevereiro de 2013

Prof. Dr. Josivaldo Pires de Oliveira
Profa. Ma. Cristiane Batista S. Silva



· Os membros que não cumprirem o prazo estipulado para recredenciamento serão descredenciados.